Oficinas em Direitos Humanos

Este projeto faz parte do programa:

destaque_site_balanco_oficinas_de_direitos_humanos

O projeto de extensão Oficinas em Direitos Humanos (aprovado em edital) trata-se da realização de oficinas em Direitos Humanos pelos alunos da graduação e pós-graduação em psicologia, em parceria com a Rede de Cidadania Mateus Afonso Medeiros – RECIMAM. Nas “Oficinas”, junto a grupos e famílias em situação de vulnerabilidade social, aborda-se o tema dos direitos humanos de maneira transversal, associado à temática dos direitos de crianças e adolescentes, em espaços de instituições parceiras da RECIMAM e no Centro Universitário Una.

1. Qual é a atividade desenvolvida e desde quando ela existe?

Projeto aprovado em edital.
Este projeto, em andamento desde o 1o de semestre de 2010, realiza oficinas com pais e familiares de crianças e adolescentes do Centro de Acolhida Betânia, localizado no bairro Betânia, em Belo Horizonte. Nesses encontros são privilegiadas as discussões sobre Direitos Humanos, em especial o direito das crianças e adolescentes. Com esse objetivo, nessas oficinas são tratados desde o tema da importância da compreensão do desenvolvimento psicossocial das crianças e adolescentes para a defesa efetiva dos seus direitos e para a sua plena integração como cidadãos, até as questões relacionadas à identidade e às relações de gênero.
Além da realização das Oficinas, esse projeto também vem desenvolvendo metodologias participativas para o diálogo sobre os direitos humanos, incluindo tecnologias sociais, como materiais educativos e jogos e atividades lúdicas que possam facilitar e embasar esse diálogo.
Neste momento, para a realização das oficinas, estamos ampliando nosso campo de atuação, estabelecendo novas parcerias com escolas públicas e creches de Belo Horizonte e Região Metropolitana.

2. Objetivo geral da atividade

Dentre outros objetivos, o projeto visa desenvolver oficinas psicossociais com instituições parceiras da RECIMAM na região metropolitana de Belo Horizonte sobre cidadania e direitos humanos. Trata-se de um debate em grupo sobre questões pertinentes ao nosso tempo, como aquelas referentes ao bullying, ao preconceito e à discriminação, aos direitos das mulheres, ao estatuto da criança e do adolescente, à educação inclusiva e outras. Nessa perspectiva, o projeto visa:
 difundir a discussão sobre direitos humanos e cidadania, trabalhando de forma vinculada (ou adaptada) à demanda e à realidade dos participantes;
 criar um contexto de diálogo sobre direitos humanos e cidadania por meio de atividades interativas e potencializando a participação a partir da redução de fatores que entravam a comunicação do grupo;
 promover um espaço de reflexão sobre os temas abordados, relacionando-os ao contexto de vida dos participantes e incentivando a sua ressignificação em prol de uma cultura de promoção e defesa dos direitos humanos.

3. Público-alvo

Pais e familiares de crianças e adolescentes; crianças e adolescentes.

4. Áreas do conhecimento e cursos envolvidos

– Áreas Temáticas: Direitos Humanos e Educação

– Linhas de Extensão: Grupos sociais vulneráveis, crianças e adolescentes.

– Curso: Psicologia.

5. Pessoas envolvidas

2011

– Alunos: 05
– Professores: 03
– Pessoas que participaram das oficinas: 60 famílias beneficiadas direta e indiretamente.
Professores: Flávia Lemos Abade, Fabiana Goulart de Oliveira e Maria Lúcia Miranda Afonso.
Alunos voluntários: Ana Júlia dos Santos, Eduardo Francisco de Oliveira, Elaine Cristina da Silva Dias, Herly Batista da Silveira e Leonídia Maria Pereira de Lima.

6. Local onde a atividade é realizada?

Centro de Acolhida Bet̢nia РCAB;
Centro Universitário Una;
Estabelecimento de novas parcerias com escolas públicas de Belo Horizonte.

7. Resultados obtidos com a iniciativa

Com o projeto de “Oficinas em Direitos Humanos”, obtivemos muitos resultados.
 Quanto à difusão da educação em direitos humanos para famílias com crianças e adolescentes, observamos que temos conseguido, a cada oficina realizada, alcançar um número maior de participantes. Aproximadamente 60 famílias foram beneficiadas direta e indiretamente com esse projeto no último semestre.
 Quanto à ampliação da compreensão dos direitos da criança e do adolescente e do desenvolvimento de capacidades associadas à parentalidade, avaliamos que o trabalho desenvolvido nas oficinas tem permitido aos pais melhorarem o autocuidado, o que reflete nos cuidados com suas crianças e adolescentes. Obervamos ainda uma melhora na compreensão das relações de gênero com a superação de concepções hierarquizadas, o que contribui, sobremaneira, para a promoção dos direitos humanos, em especial das crianças e adolescentes. A partir das reflexões propiciadas pelos encontros e discussões promovidas com as famílias, percebemos mudanças subjetivas e objetivas significativas, como a construção de maneiras menos violentas de educar suas crianças e adolescentes.
 Quanto à formação dos alunos do curso de psicologia, obtivemos o importante resultado de abrir campo para a prática dos alunos na realização de oficinas, grupos e rodas de conversa, bem como capacitar vários alunos para o trabalho com grupos sobre a temática dos direitos humanos, seja na graduação ou na pós-graduação em intervenção psicossocial.
 Quanto ao desenvolvimento de novas tecnologias sociais, como jogos, dinâmicas e materiais lúdicos para o trabalho reflexivo com grupos e famílias sobre direitos humanos, estamos avançando nas discussões e formatação desses recursos, bem como na sua utilização experimental junto às famílias atendidas para avaliar seus alcances e efeitos.

8. Qual é a importância da atividade para a comunidade e para alunos da instituição?

O projeto de extensão Educação em Direitos Humanos possui grande importância para a comunidade por contribuir para o fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários, para a prevenção de violações de direitos nas comunidades atendidas, bem como para a construção de referências sobre a questão da cidadania junto às famílias participantes das oficinas realizadas.
Para os alunos da graduação e pós-graduação em psicologia, esse projeto contribui de maneira inquestionável para uma formação mais qualificada e integrada, pois enfatiza a construção de um compromisso social da profissão dos futuros psicólogos, à medida que trabalha com a promoção dos Direitos Humanos, bem como abre campo para a prática, essencial na formação dos psicólogos.

9. Coordenadora do projeto

Professora Flávia Lemos Abade.

10. Links

ONG RECIMAM – Rede de Cidadania Mateus Afonso Medeiros >>

11. Parcerias

ONG RECIMAM – Rede de Cidadania Mateus Afonso Medeiros.

Galeria de imagens

Campus:

Palavras-chave:

Direitos Humanos, Educação, Grupos sociais vulneráveis, crianças e adolescentes, Psicologia, RECIMAM – Rede de Cidadania Mateus Afonso Medeiros.